sexta-feira, 20 de abril de 2018

O INC EM MINHA VIDA

Incentivando uma relação próxima e fraterna com nossos benfeitores e colaboradores, além dos alunos do Educandário Franciscano Nhá Chica e seus pais, demos início a uma série de entrevistas que tem como principal objetivo conhecer a opinião de cada um sobre o INC e o projeto por ele desenvolvido.
Conversamos com a Sra. Neusa Lúcia, junto de sua netinha, Ayssa Júlia, aluna do Educandário, que contaram sobre a relação delas com a Instituição e como a mesma é importante em suas vidas. Confira como foi:
* Como sua família conheceu o INC e o Educandário Franciscano Nhá Chica?
Sou de Baependi e fui criada aqui. Frequentei a instituição durante muitos anos. E agora, criando a minha menina, tirei ela de outra escola do município, há três anos, para estudar aqui, pois eu queria uma escola onde ela ficasse bem... onde ficasse melhor, e nisso me falaram que estava abrindo o Educandário.

* Como a senhora vê o papel do INC no desenvolvimento da Ayssa?
Olha, o desenvolvimento dela está sendo muito bom. Eu tenho visto bastante coisa que ela tem aprendido e estou muito satisfeita com o ensino daqui.
Eu vejo que a criança, quando tem uma base bem formada, tem um bom futuro. Hoje em dia, as crianças, se não tiverem um bom ensino, comprometem suas vidas, pois o mundo só está oferecendo coisas ruins, e ela estando aqui, sei que está aprendendo a ser disciplinada, a ter um ensino de qualidade, a ser educada, enfim, formando seu caráter e definindo sua conduta lá na frente. Vemos crianças em outras escolas, sem querer me desfazer, mas não tem aquele carinho, aquela atenção... aqui a criança nunca pode sair ou chegar sozinha, tem que estar sempre acompanhada, e isso é muito bom para elas, pois lhes dá uma segurança muito grande.

* A senhora disse que a Ayssa veio de outra escola. Ela teve alguma dificuldade em sua adaptação, devido ao regime integral de ensino?
Sim, teve. No primeiro ano, quando estava vindo para cá, como ela estava saindo do pré, ainda não tinha uma base e por isso teve bastante problema. Ela também era bem doente, e graças a Deus, hoje está com bastante saúde... se alimenta bem, aprendeu aqui a comer melhor e isso a desenvolveu bastante... cresceu, engordou, está saudável... não tem mais as febres, enfim, é uma menina com bastante saúde. Ela gosta da escola, o dia que não pode vir, fica incomodada, chora e reclama.
Fico contente dela estar aqui. Algumas vezes a gente ouve pais reclamando que os filhos ficam o dia todo e chegam em casa cansados, já eu não posso dizer o mesmo, pois a Ayssa chega com muita disposição, ainda tem o que fazer e não fica reclamando de nada. É claro que até a criança se adaptar, quando chega de uma outra rotina, com outros métodos de disciplina, leva um tempo, principalmente por acordar cedo e ficar o dia todo. Algumas crianças reclamam e os pais acham que está ruim, mas se olharmos por este lado, estamos podando o direito delas de serem melhores depois. A gente não pode abaixar a cabeça e aceitar as condições deles, ainda são imaturos, temos que ver o que é melhor, pois se deixarmos, irão crescer rebeldes e privados de uma educação de qualidade.

* Ayssa, do que você mais gosta aqui no Instituto?
O que eu mais gosto é de ficar com meus colegas. Eu também gosto muito de aprender a jogar xadrez, pois é demorado e faz muito bem para minha cabeça. Eu acho importante assistir as aulas, porque a gente fica inteligente e cresce sabendo.

* Qual mensagem a senhora gostaria de deixar, conhecendo o INC ainda mais durante esse tempo que a Ayssa está aqui?
A Ayssa na verdade é minha filha do coração, pois é minha neta... crio ela desde que nasceu. No momento que veio para cá, me adaptei muito bem com as Irmãs, também com a Júlia e a Cristiane, gosto muito delas. Sempre tiveram um carinho muito grande comigo quando venho conversar sobre alguma coisa, enfim, sempre me receberam muito bem. Só tenho a agradecer a escola, a diretoria, as pessoas que trabalham em outras funções... agradeço de coração por tudo o que tem feito. Sei que durante o tempo que ela está aqui, não está na rua ou em casa atrás de uma televisão, assistindo coisas que não são aproveitáveis. Estando aqui, sei que está aprendendo coisas que serão úteis em seu futuro, e isso é o que importa. A semente está plantada e está germinando. Já faz três anos que ela está aqui.
Desejo que esta escola cresça cada vez mais e tenha um futuro cada vez melhor e expansivo... que muitas outras crianças venham para cá. De minha família mesmo, tenho mais um casal de netos que estuda aqui e gosta muito... então isso é o que nos dá alegria.